Capitólio, a "Rainha dos Lagos"

A pequena Capitólio, com cerca de 8 mil habitantes, é ainda pouco conhecida da maior parte dos turistas apesar do grande potencial turístico da cidade e de toda a região. Devido a construção da Usina Hidroelétrica de Furnas, entre 1958 e 1963, a cidade teve parte de sua área inundada e a economia local, baseada na agricultura foi muito comprometida. Hoje, as águas que uma vez prejudicaram o município, propiciam, através do turismo, uma compensação pelas perdas passadas.

A Praia Artificial da cidade já é palco de grandes eventos na região, como o carnaval. No Balneário Escarpas do Lago, ou bairro Engenheiro José Mendes Júnior, está a maior marina fluvial da América Latina, além de centenas de casas luxuosas.

Capitólio também é a cidade das cachoeiras, trilhas e cânions. A Trilha do Sol, Lagoa Azul, e Cachoeira do Lobo são algumas das várias opções, das mais diversas formas e tamanhos, algumas próximas ao centro e outras de difícil acesso, para quem busca beleza e aventura.



Serra da Canastra, nascente do São Francisco

Um dos mais importantes parques brasileiros, o Parque Nacional da Serra da Canastra, com uma área efetivada de 71.525 hectares, protege um cenário de rara beleza onde há a transição da “borda da Mata Atlântica” e “inicio do Cerrado”. Com o relevo acidentado e a vegetação rasteira predominante nos campos no topo da serra, a fauna é favorecidamente observada, como o lobo guará, o tamanduá-bandeira, o veado-campeiro, diversos gaviões e espécies ameaçadas de extinção como o pato mergulhão e o tatu-canastra.

A Serra da Canastra é também um divisor de duas bacias hidrográficas, a do Rio Paraná e do Rio São Francisco. Na parte mais alta do parque, região conhecida como Chapadão da Zagaia, filetes de água dão origem o maior rio genuinamente brasileiro, o Rio São Francisco. Percorridos 14 km de sua nascente, o “Velho Chico” forma a sua primeira cachoeira, a Casca D’Anta, com uma queda de quase 200 metros de altura é uma das mais altas do país.
Lago de Furnas, o "Mar de Minas"

Primeira usina de grande porte do Brasil, a Usina Hidroelétrica de Furnas foi criada para suprir a demanda dos parques industriais do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, e evitar o colapso energético do país da década de 60. O lago artificial formado para a geração de energia é alimentado pelos grandes rios Grande e Sapucaí, e margeia 34 municípios mineiros. O Lago de Furnas possui uma área de 1.473 km2, quase quatro vezes a Baía de Guanabara, e tem um perímetro de 3,7 mil km, quase a metade da costa brasileira.

A geografia da região impressiona por uma variedade de aspectos físicos, sendo alguns de grande raridade. Há áreas onde o lago se aprofunda em vários cânions, com paredões de até 40 metros de altura, ou mirantes no topo de escarpas, onde é possível admirar sua beleza. O Lago de Furnas é também alimentado por nascentes e rios menores, alguns deles formando belas cachoeiras e cascatas.

No ranking dos 10 lugares mais bonitos do Brasil para navegar, o Lago de Furnas foi eleito pela revista “Náutica”, edição de dezembro de 2009, como o sexto melhor destino do país. Considerado como uma espécie de “Angra dos Reis” de Minas Gerais, o lago tem inúmeras belezas naturais e uma excelente estrutura náutica e de apoio.



O melhor de Minas não é o pão de queijo

Às margens do Lago de Furnas, próximo aos cânions e cachoeiras, e a alguns quilômetros da Serra da Canastra, está localizada a maior estrutura de lazer da região. Obbá Coema Village Hotel, o melhor de Minas...

Furnas

Balneário Escarpas do Lago

Lago de Furnas - Cânions

Serra da Canastra

A Região

Turvo

Casca d'Anta

A Região

A Região

Media Plus